Osteoma del Cráneo

Osteoma do Crânio

Paciente feminina, 48 anos de idade, com tumor na fronte havia três anos. Refere aparecimento lento e progressivo, indolor, que dificulta apenas a estética. Não observou crescimento no último ano. Lesão nodular, dura, aderida a planos profundos, com aproximadamente três centímetros de diâmetro. As figuras 1, 2 e 3 ilustram o aspecto clínico da lesão e as figuras 4 e 5 mostram o aspecto radiográfico da imagem.

Figura 2: Visão de perfil.
Figura 1: Nódulo firme, saliente, na base de implantação do cabelo. Figura 2: Visão de perfil.
Figura 3: Paciente com o penteado encobrindo a lesão.
Figura 3: Paciente com o penteado encobrindo a lesão.
019fa4fdf1c04cf73ba25aa2223769cd 2
Figura 4: Radiografia do crânio com lesão nodular, densa, homogênea, na calota.
De535e267c10a7c88f2ed4283e8484da 2
Figura 5: Detalhe da lesão de condensação óssea.
0ec29ebfebc8170bf981e16247ca1298 2
Figura 6: Tomografia axial do crânio com lesão acometendo as duas tábuas, com abaulamento maior da cortical externa.
177da57035b03c2eb2cbe9b872348d15 2
Figura 7: Tomografia coronal mostrando que a lesão atinge apenas a cortical externa.
Figura 8: Tomografia com reconstrução em corte coronal, confirmando a íntima relação com a cortical externa.
E046cbb371a979a6893456eee7f00703 2
Figura 9: Reconstrução tomográfica em 3 dimensões da lesão do crânio.
2ead807305f1256d739e30b5c14e12c0 2
Figura 10: Tricotomia e planejamento da incisão cirúrgica.

A análise da história, quadro clínico e imagens de uma lesão homogênea, compacta, com limites precisos, produtora de osso maduro permitiu o diagnóstico de osteoma, realizando-se a ressecção desta lesão por indicação estética. A cirurgia foi realizada sob anestesia geral e infiltração local, para diminuir o sangramento (figuras 10 à 20).

7c9966afcc510cf5a40621d1d92bdaf1 2
Figura 11: Assepsia e antissepsia, com colocação de campo plástico.
E355ad06c5a89f911fbb0aff2de52435 2
Figura 12: Infiltração local com anestésico com vaso constritor.
2d13d901966a8eaa7f9c943eba6a540b 2
Figura 13: Incisão, hemostasia e descolamento do periósteo.
92c4661685bf6681f6a33b78ef729658 2
Figura 14: Ostectomia com formão.
Bb44c2e24438b59f0d2109fec67f6b20 2
Figura 15: Superfície cruenta do leito operatório.
A3b36cb25e2e0b93b5f334ffb4e4064e 2
Figura 16: Regularização com serra elétrica.
84453be26be0a83edcbce02c1a0dbfe5 2
Figura 17: Aplanamento com formão.
13fbe66c4c51b5105b28e59790cba2b9 2
Figura 18: Leito cirúrgico regularizado, sem saliências.

Ostectomia com serra elétrica

A Serra elétrica não se mostrou como o instrumento mais adequado para a realização da ostectomia e regularização, como podemos observar. Isto foi melhor executado com o formão (figura 17).

97df5fa177f4f8e4361304cf5dcacbf5 2
Figura 19: Fragmentos do osteoma ressecado.
621d187a8e1a345cc07422a61c669654 2
Figura 20: Pós-operatório imediato.

Autor : Prof. Dr. Pedro Péricles Ribeiro Baptista

 Oncocirurgia Ortopédica do Instituto do Câncer Dr. Arnaldo Vieira de Carvalho

Olá! Como podemos auxiliá-lo?